Blog sobre reabilitação animal e novidades do mundo pet

Os barulhos dos fogos de artifício ferem os ouvidos e assustam cães e gatos.

Estão chegando as datas mais esperadas pela maioria da população! É época de festejar o Natal, o final do ano, com seus amigos e familiares. Mas você percebe como fica seu animalzinho de estimação com toda essa agitação?

Muitos animais ficam ansiosos e assustados com a movimentação das pessoas, visitas chegando..e, para piorar, com os fogos de artifício que muitos ainda soltam em datas festivas.

Ainda há quem acalme seus pets com medicamentos, o que nunca foi a melhor opção, pois sem um acompanhamento do médico veterinário, pode se tornar muito perigoso abaixar a frequência cardiorrespiratória dos animais.

Mas agora, com a onda de produtos naturais em alta, encontramos facilmente alternativas mais naturais para manter nossos amiguinhos calmos e tranquilos nesses dias!

Separo aqui duas ótimas opções, que testei e aprovei com o meu melhor amigo!

Uma delas é o floral de Bach Rescue Remedy Pet, produto importado, com uso exclusivo aos animais (cão, gato, pássaros, etc).

O outro é em forma de ossinho, da Organnact. Você oferece 1 ossinho para animais até 10 Kg. O produto possui a planta passiflora, que acalma e relaxa.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Se possível, deixe seu animal em um local o mais calmo possível, sem possibilidades de se machucar. Assustados, os animais podem se debater e acabar se ferindo contra grades, portas, janelas, etc.

E para manter seu animal sempre equilibrado, procure um acupunturista veterinário!

Boas Festas!!!

Sthefânia Muccilli

Adestramento

O Adestramento em Cães é uma técnica de trabalho, onde cão e condutor trabalham juntos, estabelecendo disciplina e desenvolvimento entre eles.

TODOS os cães devem e podem ser adestrados, independente da raça (incluindo os “SRD”, sem raça definida), do porte (micro ou anão, pequeno, médio ou Standard, grande e gigante), do sexo (macho ou fêmea), ou do temperamento.

Dentre as raças, é comum comentar que algumas são mais fáceis de serem adestradas que outras. Isso, no entanto, é um erro, pois todas as raças foram criadas para executarem uma função específica, cada qual desempenhando da melhor maneira possível as tarefas que lhe foram atribuídas.

A idade correta para o início do adestramento é a partir dos 45 dias de idade, quando o filhote começa a ter as primeiras noções de submissão e dominância.

Apesar disso, não existe idade máxima para se iniciar o aprendizado, podendo este ser iniciado na idade adulta ou mais avançada.

As principais funções que os cães desempenham atualmente são:

  • Guarda (residencial, pessoal ou misto)
  • Trabalho policial (incluindo policiamento ostensivo, farejamento de entorpecentes ou explosivos, busca e salvamento)
  • Companhia
  • Pastoreio
  • Caça
  • Tração

Se possível, adestre seu animal com um profissional competente. O adestramento contribui para o melhor convívio do animal com sua família, e também melhora sua qualidade de vida!

Para dúvidas ou comentários, envie email para 

Walter Carletto Júnior

(Adestrador Profissional)

argus.enzo@hotmail.com

Sessão de quiropraxia do cãozinho Hulk

A Quiropraxia é uma profissão da saúde aceita pela Organização Mundial de Saúde (OMS), e lida com o diagnóstico, tratamento e  prevenção das desordens do sistema neuro-músculo-esquelético e dos efeitos destas desordens na saúde em geral.

Utiliza de determinadas técnicas manuais, incluindo o ajuste e/ou manipulação articular. A manipulação da coluna já era utilizada por médicos da Grécia Antiga, mas a descoberta da Quiropraxia é atribuída a D.D. Palmer, em 1895, formando a primeira instituição de ensino em 1897 nos EUA.

Em 1989, também nos EUA, foi fundada a primeira escola de Quiropraxia Veterinária. Nos EUA e na Europa essa técnica já é conhecida, e bem recomendada.

No Brasil a quiropraxia animal foi introduzida pela médica veterinária Camila Morandini, que agora ministra o curso de pós graduação em Quiropraxia para Veterinários.

INDICAÇÕES:

A Quiropraxia é indicada para o tratamento e prevenção de diversas patologias, por melhorar a saúde da coluna vertebral e do Sistema Nervoso, potencializando, assim, a resposta do organismo aos estímulos nervosos.

Claudicações inespecíficas, lombalgias, dermatites e hérnias de disco são apenas alguns exemplos do amplo leque de possibilidades de aplicação.

Esta terapia holística não visa substituir os protocolos clínicos tradicionais, mas sim oferecer ao animal condições para que seu corpo volte ao estado ideal.

Saiba mais sobre essa terapia em Quiropraxia Veterinária.

João

O cãozinho João foi resgatado no campus da Universidade de São Paulo (USP), e foi levado à clínica veterinária Bicho&Rabicho, onde foi constatada uma luxação da cabeça do osso fêmur. Foi necessária a realização de cirurgia, e após esse procedimento o João parou de apoiar o membro no chão.

Foi então iniciado o tratamento que incluía acupuntura, com a Dra Andrea, e fisioterapia, com a Dra Sthefânia.

O tratamento fisioterápico consistiu inicialmente do uso das técnicas de laserterapia e ultrassonografia terapêutica, para diminuir o processo doloroso e inflamatório, e para tratar a contratura muscular do membro.

Assim que a contratura e o processo doloroso foram tratados, foram adicionadas as técnicas de alongamento, massagem e exercícios terapêuticos, para estimular o animal a voltar a apoiar a pata no chão, voltando assim a ter a musculatura e movimentos adequados do membro.

Após 20 sessões, hoje o João já apóia a patinha no chão em 80% do tempo. O tratamento ainda continuaria até que toda a musculatura do membro fosse reconstituída, e que o animal não sobrecarregasse mais o membro anterior. No entanto, como ele já tem de volta a sua qualidade de vida, foi dada a alta do seu tratamento, para ser adotado!

Espero que seja muito feliz em seu novo lar, João!

Assista ao vídeo do João antes e após o tratamento!

Qualquer dúvida sobre esse e outros assuntos relacionados, envie um email para reabilitacaoanimal@gmail.com

Reiki em animais

Chakras humano e canino.

O reiki é uma terapia oriental, criada pelo monge budista japonês, Mikao Usui, que procurou entender porque as mãos eram consideradas importantes fornecedoras de energia, em diferentes religiões e crenças, com base no Cristo e em Buda.

Após muito treinamento e estudo, Mikao conseguiu construir uma forma de cura.

O Reiki pode ser definido como a “ arte e a ciência da ativação do direcionamento e da aplicação da energia vital universal para, promover o completo equilíbrio energético, para prevenção das disfunções e para possibilitar as condições necessárias a um completo bem estar “.

O reiki é uma poderosa ferramenta, que pode ser utilizada em todo e qualquer ser vivo, e a maioria dos animais responde muito bem ao tratamento.

A terapia reikiana em ajuda a acalmar os animais, e pode auxiliar em casos comportamentais, traumáticos, crônicos ou agudos.

É importante lembrar que o Reiki não substitui o tratamento veterinário. Ele trabalha juntamente para melhorar a energia e a saúde geral do animal, podendo melhorar os resultados da terapia convencional, e acelerar o período de recuperação.

É uma terapia que não apresenta efeitos colaterais ou contra indicações e logo nas primeiras sessões os resultados são visíveis.

Sites para consulta:

http://floraiseanimais.wordpress.com/reiki-em-animais/

http://www.greepet.vet.br/reiki.php

http://www.indigoartsworld.com/reiki_and_energy_work.htm

 

Qualquer dúvida sobre esse ou outro assunto, fale comigo pelo email

reabilitacaoanimal@gmail.com

Sthefânia Muccilli

 

O fumo passivo também causa sérios problemas respiratórios e pode matar!

Os fumantes possuem um novo motivo para deixarem de fumar!

A muito tempo se sabe que a fumaça gerada pelo cigarro causa problemas respiratórios e pode chegar a matar também os fumantes passivos, ou seja, os que convivem com fumantes e inalam essa fumaça . Porém uma tese de mestrado pode motivar ainda mais os fumantes a deixarem o cigarro de lado.

Segundo o estudo, realizado na Universidade de Brasília – UnB, animais cujos donos fumam são fumantes passivos e apresentam problemas relacionados ao sistema respiratório, como bronquite, tosse, alergia, coriza e espirros.

O veterinário Marcello Roza, autor da pesquisa, explicou que estudou o organismo de 15 cães habituados a viver em um ambiente exposto à fumaça de cigarro durante três anos. Nesse tempo, os animais apresentaram alterações em suas células pulmonares, assim como ocorre com os fumantes passivos da raça humana.

“O ideal é não fumar. Se não tiver jeito, que o cigarro não fique perto do cachorro”, diz Roza. “Essa iniciativa precisa partir do dono, porque, mesmo com a fumaça do cigarro, nem todos os cachorros se afastam”.

Sthefânia Muccilli

reabilitacaoanimal@gmail.com

Saiba mais em:

http://www.portalesoterico.com.br/astrologia/horoscopo_pets.php

http://www.ternuradog.com.br/horoscopo/

http://www.maniadecao.com.br/do/VoceSabiaInterna/226

Nuvem de tags